Mostrando postagens com marcador Maias. Mostrar todas as postagens

O Calendário Maya e seus benefícios

Entrevista a Dr. José Argüelles*

1.Que características tem o Calendário Maya?
Aquilo a que se chama "calendário Maya" é um sistema de sincronização de ciclos terrestres, solares, interplanetários e galácticos de uma forma fractal e que utiliza por base um padrão ou proporção unicamente matemática a que se chama a frequência 13:20. De forma práctica, esta frequência 13:20 traduz-se numa medida de 260 unidades ou kins. Um kin pode ser um dia, um mês ou lua, um ano, etc. Esta medida informa e sincroniza com todos os outros 17 calendários (ou mais propriamente, sincronómetros, porque um calendário tem como objectivo sincronizar) que os Mayas utilizavam, incluindo o Tun Uc ou calendário de 28 dias.

2. Porque é importante que se adote em vez do Calendário Gregoriano?
O que propomos que se adopte em vez do Calendário Gregoriano é o Calendário das 13 Luas/28 dias. Este é um verdadeiro sincronómetro perfeitamente harmonioso – cada mês, ou melhor, lua, tem exactamente 28 dias, quatro semanas perfeitas de 7 dias, treze vezes por ano. Isto perfaz uma soma de 364 dias ou 52 semanas perfeitas. Cada mês é um espelho perfeito de cada mês. Assim, este calendário 13 luas/28 dias é um padrão de medida perfeita. O último dia – o 365 - não á um dia de semana nem de lua, e por isso, chama-se a este dia, o dia fora do tempo, e corresponde à data gregoriana de 25 de Julho. Neste dia há festivais mundiais para celebrar "o tempo é arte" e para o perdão universal.

Pelo contrário, o calendário gregoriano não tem padrão – é uma colecção de 12 meses irregulares em duração, com nomes irracionais, onde as semanas não correspondem à duração dos meses. Esta confabulacão não científica que aceitamos como um dogma, cria uma confusão no inconsciente colectivo, e por consequência este calendário, programa a sociedade com valores não harmónicos e irracionais. Por esta razão, a sociedade moderna caracteriza-se por contradições internas que não se podem superar, e que termina no caos social, guerra e ainda terrorismo. É para corrigir esta situação tão lamentável que temos de adoptar o calendário 13 luas/28 dias.

3. Como chegou a conhecê-lo e a descodificá-lo?
Agora posso dizer que chego a este conhecimento como um princípio ou assunto do destino. Este tipo de tarefa vem desde o nascimento. Não se escolhe este trabalho.
Este trabalho espera por ti. Portanto, desde os meus primeiros anos de vida que tive uma predisposição para entender a sabedoria dos antigos mexicanos e especialmente dos Mayas. Esta coisa da descodificação também é uma forma de memória. Pouco a pouco, realizo-me como um navegante maia galáctico que assumiu nesta vida este corpo e nome com o fim de cumprir uma missão cósmica que conhecia antes de nascer.

4. Em que pode beneficiar a humanidade com a sua utilização?
Como disse na resposta anterior, a humanidade pode beneficiar na medida em que arruma a sua mente e muda a sua noção de tempo de uma forma cada vez mais harmoniosa, alterando os valores da irracionalidade e medo para os de harmonia cósmica e amor incondicional para toda a vida. Também conduz da vida mecânica e materialista para uma vida orgânica e cósmica.

5. Crê que as vontades do Mundo estão dispostas a alterar o status quo?
Talvez não neste momento, porque os líderes estão ocupados com questões de guerra, economia e terrorismo. Mas numa altura catastrófica, não muito longe no futuro, talvez possam entender a oportunidade para a paz e harmonia que apresenta a adopção deste calendário. Também se trata de um assunto evolutivo; podemos dizer que o Calendário Gregoriano é o calendário da História e o Calendário das 13 luas/28dias é o Calendário da pós-História. Por isso é que é importante que seja o povo que mude o calendário, porque a evolução não pode esperar pela mudança dos governos. E este é o ponto importante: Pela primeira vez na História, há um movimento popular que está a adoptar um novo calendário independentemente do que pensem as autoridades.

6. De quem depende que se faça a mudança?
Do povo - e depois, a ONU (ou qualquer corpo governamental que exista na altura da mudança). A ONU e a UNESCO já receberam toda a informação sobre este assunto da mudança para o calendário das 13 luas. O secretário-geral da ONU, Kofi Anan, ja deu a sua opinião de que esta era uma boa ideia porque partia da vontade do povo.

7. Deve ser abrupta ou gradual a mudança de calendário?
Agora é a pouco e pouco e por zonas do mundo – como na América Latina ou Japão. Mas eventualmente, deve ser abrupta como o instrumento de chamar para um fogo universal para observar a mudança para o Novo Tempo – tempo de paz com um Novo calendário de paz. Por isso é que que temo aquilo a que se chama o plano de paz para a mudança para o calendário das 13 Luas. Estamos prontos para a Paz e temos um caminho de Paz.

8.Qual é a mensagem que nos deixou a civilização Maya à Humanidade?
A sua mensagem é simples: Oh humanidade! Não sabem nada da verdadeira natureza do tempo. O tempo não é um relógio! O tempo é a frequência de sincronização universal pela qual se harmonizam todos os ciclos cósmicos. Porque vocês não compreendem este entendimento verdadeiro do tempo, perdem-se no materialismo, destroem o vosso meio ambiente e afogam-se na guerra e no terrorismo! Voltem a viver segundo os ciclos harmoniosos da natureza cósmica e podem salvar-se!! Se não, será o vosso fim e talvez mesmo do vosso planeta!

9. Qual é a diferença entre calendário Maya e o calendário das 13 Luas?
O Calendário Maya tradicional (indígena) mantém aquilo a que se chama de contagem Longa, a contagem de dias (1,872,000) entre 3113 AC até 21 Dezembro, 2012.

O calendário das 13 luas baseia-se num dos 17 calendários mayas, o Tun Uk, e sincroniza-se com a medida 13:20, tzolkin ou módulo harmónico. Mas o calendário das 13 luas não é um dos calendário mayas. É um calendário universal. Por exemplo, por mais de 5500 anos, os indígenas dos Andes utilizavam um calendário 13 luas/28 dias e também os druidas de Inglaterra, entre outros. É pela sua universalidade os próprios reformistas do calendário o preferem.

Finalmente, outro ponto importante. O calendário 13 luas toma como o seu Ano Novo um dia que corresponde ao 26 de Julho. No passado, para os egípcios e mayas, este día celebrava-se porque neste dia produzia-se a conjunção da grande estrela Sirio e o Sol nascente.. Portanto, este dia reporta-se a um facto cósmico pelo qual o Calendário das 13 luas que utilizamos hoje é também uma parte integral de uma nova revelação do tempo a que se chama "Encantamento do Sonho". Por esta razão, não devemos confundi-lo com o Calendário Maya tradicional, porque o Calendário das 13 luas tem por propósito uma demonstração da ordem sincrónica da 4ª dimensão, ou seja, uma revelação da Lei do Tempo.

10. É conhecido como Valum Votan. O que significa isso?
É por causa deste assunto de uma nova revelação do tempo, que me chamo também Valum Votan. A base da nova revelação é o descobrimento da Lei do Tempo. Esta Lei, extraordinariamente simples, e que era conhecida dos antigos Maias, é de uma importância sem igual. Foi a última herança dos Maias. especialmente do grande Pakal de Palenque. É por ter descodificado a sua profecia, que contém a Lei do Tempo, que me chamo Valum Votan, o sucessor do Grande Pakal para o fim do ciclo. Esta Lei do Tempo diz que o tempo é o factor de sincronização universal e formula-se assim: T(E) = Arte, ou a Energia em função do tempo (frequência 13:20) é igual a Arte - harmonia universal - todo o Universo está em harmonia - apenas o homem está mal.

11. Que significa ser o Encerrador do Grande Ciclo?
É uma responsabilidade enorme. É o fim da História e de toda a civilização materialista que domina o mundo neste final dos tempos. É minha responsabilidade explicar à Humanidade que o futuro não será o que a maioria da humanidade pensa e que vêm grandes alterações que vão alterar a vida quotidiana completamente. O que é importante agora é a unificação espiritual. Por isso é que eu apelo à reunião dos líderes espirituais de todas as tradições, mas especialmente entre os muçulmanos, budistas, cristão e judeus, hindus e Sikhs e também às culturas indígenas. Eu falo muitas vezes da UR - Religião Universal ou Recolecção Universal que se profetizou em muitas tradições - a grande reunião universal como um arco-íris das nações. Eu falo de um círculo de arco-íris em cujo centro floresce um árvore com flores das cores do arco-íris. O grande círculo mundial consiste em que as pessoas de todas as tradições que são puras de coração e que se podem reconhecer, que a finalidade de todas as tradições tenham um fundamento comum e no fim significa que será um retorno à fonte do todo - o grande Criador. Apenas os homens e as mulheres espirituais podem criar uma paz verdadeira. Assim, para o final do ciclo, 2012, temos de entender que vamos experimentar a paz universal. A alteração de Calendário é simplesmente a forma de abrir a porta, mas se não a abrires, não podes entrar na próxima dimensão, no futuro. Esta é a missão do Encerrador do Ciclo - a Paz Universal.

12. O que é que vai acontecer em 2012/2013, segundo as profecias Mayas?
Como disse, é o fim da História, o fim de um ciclo no qual o materialismo dominou tudo. Agora vem o fim da globalização, dos supermercados, da indústria, numa palavra da tecnosfera. O que vai chegar é a noosfera – a capa mental do planeta. Isto é como uma mudança de estado, como de líquido para gasoso. Como vai suceder isto? Por Guerra? Em parte, claro. A III Guerra Mundial está muito próxima. Por alteração climática também. Mas esta alteração vai penetrar no nosso mundo pelas grandes alterações do Sol. É o Sol que rege a nossa vida e por isso é que as profecias falam da nova era solar.. Em 2012, o sol vai experimentar uma "alteração polar" e este vai afectar muito o nosso planeta. Vai romper o campo electromagnético e por isso vai acabar com a nossa cultura cibersférica e electrónica. Ao mesmo tempo, necessitamos de preparar uma alteração terrestre também. Como podemos ver o que vai suceder, esforçamo-nos com experiências entre o campo biopsiquico da Humanidade e o campo electromagnético da Terra com o fim de criar um campo telepático de estabilização para o nosso planeta. A nossa hipótese é demonstrar a possibilidade de criar um arco-íris circumpolar para o ano 2012, e com isto poderemos estabilizar os piores efeitos das perturbações solares e terrestres que vão acabar eternamente com a civilização como a conhecemos.

Mas, de facto, falamos de alterações cósmicas naturais. Apenas serão catastróficas enquanto tivermos apego à civilização materialista. Se não tivermos apegos materialistas poderemos ver que um grande drama cósmico começa a desenrolar-se. Temos de ter perspectiva. Não é a primeira vez que o planeta altera o seu estado. A noosfera é simplesmente o último horizonte de alteração total; é o horizonte de vida cósmica no nosso planeta. Vamos evoluir ou voltar a ser seres galácticos, totalmente telepáticos. Vamos começar a participar na civilização cósmica. Isto é o que quer dizer 2013 - a sincronização galáctica. Perder a civilização materialista é o preço menor a pagar para alcançar esta grande etapa evolutiva.
13. Escolheu vir a Buenos Aires, mas também a Cordoba e à comunidade de Epuyen.
Porquê? São lugares com uma energia especial? Que trabalho está a ser feito aí?
É claro que perto de Córdoba e em Epuyen há comunidades 13:20, isto quer dizer, comunidades que vivem no estilo do Novo tempo, com jardins autosustentáveis, com programas sociais, contemplativos e de tudo. Estes lugares têm as suas energias especiais. A comunidade próxima de Cordoba está também próxima de Capilla de Monte, onde se encontra a "cidade subterrânea" de Erks – centro de muita actividade interdimensional ou seja "ufologia". Não importa o que pensam deste fenómeno, o importante é a prática de novas formas de pensar para que activemos a telepatía.

Para além disso, Epuyen está a norte da Patagónia, mais longe para o Sul. A ubicação desta comunidade 13:20 é boa para a prática da experiência de criar o Arco iris circumpolar.

Todas as investigações que conduzi nos últimos vinte anos, incluindo o calendário maya, podem entender-se como investigações de engenharia e desenho de sistemas planetários.

Desta maneira sou um engenheiro e desenhador de sistemas planetários inteiros. É um prazer estar neste planeta para ver como resolver os vossos problemas da vossa perspectiva. A profecia também é uma função de um sistema inteiro planeta-cosmos.



*José Argüelles, também conhecido como Valum Votan, nasceu no Estado de Minnesota, Estados Unidos, e viveu seus primeiros cinco anos de vida na cidade do México, mudando-se para a Califórnia no final da Segunda Guerra.

Formado pela Universidade de Chicago, recebeu bacharelado na Arte Liberal e fez mestrado de História da Arte em 1963.

Completou o curso de doutorado em 1965, foi nomeado "Samuel H. Kress, Sênior Fellow" e estudou História da Arte em Paris. Recebeu o título de Ph.D. em História da Arte e Estética na Universidade de Chicago. Como estudante do Chogyam Trumgpa Rinpoche, freqüentou o Primeiro Seminário Norte-Americano Vajrayana em Jackson Hole, Wyoming.

José Argüelles é ativista vitalício para a Paz e a Transformação da Consciência Planetária. Com sua esposa Lloydine, fundou a Rede de Arte Planetária, em 1983, promovendo a arte como o fundamento da paz global, dedicando-se a reativar o Pacto de Paz e a Bandeira da Paz de Nicholas Roerich.
O autor ainda possui vários livros publicados em todo o mundo e nos mais diversos idiomas.
Fonte: http://www.anjodeluz.com.br/index.htm

Descoberta de 'Novo' calendário MAIA desmente teoriado fim do mundo


Pesquisadores descobriram também pinturas de reis em paredes de ruínas. Registros do século 9 são os mais antigos já encontrados da civilização.

  Uma equipe de pesquisadores dos Estados Unidos anunciou nesta quinta-feira (10) a descoberta do calendário maia mais antigo documentado até o momento. A descoberta desmonta a teoria nada científica dos que preveem o fim do mundo em 2012, com base no calendário maia.

  Essa teoria se baseia na existência de 13 ciclos no calendário maia, conhecidos como “baktun”. Porém, os novos dados mostram que o sistema possui, na verdade, 17 “baktun”.

 
Ciclos da Lua e, possivelmente, de planetas, feitos pelos maias em Xultún (Foto: William Saturno/David Stuart/National Geographic/Divulgação)
 


  “Isto significa que há mais períodos que os 13 (conhecidos até agora)”, ressaltou o arqueólogo David Stuart, da Universidade do Texas-Austin, um dos autores do artigo publicado pela revista “Science”. Ele apontou que o conceito foi “manipulado”, e disse que o calendário maia continuará com seus ciclos por mais milhões de anos.

  As pinturas encontradas em paredes de ruínas da cidade de Xultún, na Guatemala, foram feitas no século 9. O calendário documenta ciclos lunares e o que poderiam ser ciclos planetários, explicaram Stuart e seu colega William Saturno, da Universidade de Boston.

  A escrita pintada no que seria um templo são vários séculos mais antigos que os "códices maias". Esses livros escritos em papel de crosta de árvore eram os registros escritos mais antigos da cultura maia e foram produzidos por volta do século 13.

  'Primeira vez' “Nunca tínhamos visto nada igual”, assinalou Stuart, professor de Arte e Escritura Mesoamericana, encarregado de decifrar os hieróglifos. Ele destacou que se tratam das primeiras pinturas maias encontradas em paredes.

  A sala, segundo os especialistas, faz parte de um complexo residencial maior. Os pesquisadores lamentam que parte do quarto tenha sido danificada por saqueadores, mas foi possível conservar várias figuras humanas pintadas e hieróglifos escritos em preto e vermelho.

  Em uma delas, aparece a figura do rei com penas azuis e glifos perto de seu rosto que, segundo decifraram, significam “irmão menor”.

Desenhos encontrados nas paredes de Xultún (Foto: Tyrone Turner/National Geographic/Divulgação) 
 
Outra parede contém uma série de cálculos que correspondem ao ciclo lunar. Os hieróglifos de uma terceira parede estariam relacionados aos ciclos de Marte, Mercúrio e, possivelmente, Vênus, segundo os pesquisadores.

  Os autores indicam que o objetivo de elaborar esses calendários, segundo os estudos realizados a partir dos códices maias encontrados previamente, era o de buscar a harmonia entre as mudanças celestes e os rituais sagrados, e acreditam que essas pinturas poderiam ter tido o mesmo fim.

  “Pela primeira vez, vemos o que podem ser registros autênticos de um escrivão, cujo trabalho consistia em ser o encarregado oficial de documentar uma comunidade maia”, assinalou William Saturno. Em sua opinião, parece que as paredes teriam sido utilizadas como se fossem um quadro-negro, para resolver problemas matemáticos.

  De acordo com os cientistas, poderia se tratar de um lugar onde se reuniam astrônomos, sacerdotes encarregados do calendário e algum tipo de autoridade, pela riqueza na decoração das pinturas nas paredes, que também utilizaram para fazer suas anotações.

  A pesquisa continua aberta para determinar de que tipo de ambiente se tratava – se era uma casa ou um local de trabalho, e se era utilizado por uma ou várias pessoas.

  “Ainda nos resta explorar 99,9% de Xultún”, lembrou Saturno, que afirmou que a grande cidade maia descoberta em 1915 proporcionará novas descobertas nas décadas vindouras.

Sala com as pinturas estava cercada por árvores na Guatemala (Foto: Tyrone Turner/National Geographic/Divulgação)

Fonte: Kardec Online


Lenda Maia - O Rei Jaguar - FELIZ ANO NOVO MAIA






Na lenda da antiga civilização Maia, acredita-se que enquanto o pai Sol rege o dia, o Rei Jaguar rege o mundo à noite. Ele nos deu o presente do brilho do Sol em seus olhos para iluminar a noite e guardar o mundo contra as trevas.

O poder do Rei Jaguar se extende em sua habilidade em assumir a forma fisica que ele desejar. Frequentemente o Rei Jaguar e sua tribo escolhem tomar a forma humana durante a noite já que eles rondam o mundo caçando as trevas. Só existe uma única forma humana que o Rei Jaguar não tem permissão de tomar: a forma do puro poder que lhe permitiria reinar durante o dia e durante a noite.
A única maneira para que o Rei Jaguar consiga ter a permissão de tomar esta forma final seria ganhar o coração da filha do Sol. E a cada noite enquanto ele e sua tribo combatem as trevas do mundo , ele também procura pela Filha do Sol.





  
O Jaguar:
Um majestoso animal que tem sido venerado e respeitado desde a antiguidade. Para os astecas o jaguar teve uma grande influencia e era conhecido como "O CELOTL" o qual consideravam o rei dos animais.
Na cultura maia, o jaguar era chamado de "BALAAM O CHAC" e era considerado um símbolo de opder. As pessoas que utilizavam as vestimentas de jaguar tinham autoridade na sociedade, de acordo com os códices maias, o Deus Sol se transformava em jaguar para poder viajar durante a noite pelo mundo dos mortos.




Alguns links interessantes:
El jaguar en el mundo mesoamericano:
http://www.youtube.com/watch?v=W7nM5t9R1FY&feature=related


The Jaguar. Power and divinity in Mesoamerica :
http://www.youtube.com/watch?v=gtjvbY6seOc&feature=related


TRAILER La Noche del jaguar:
http://www.youtube.com/watch?v=JRSy6xqx8BQ&feature=related


El jaguar Castigado: http://www.youtube.com/watch?v=6nmdtqjst-8&feature=related


Aztec Jaguar Dance / Danza Azteca: http://www.youtube.com/watch?v=MCEBL2vy0gk


ThunderBeat - Mayan Landing 2012 - promo mix  - (when the light beats the darkness): http://www.youtube.com/watch?v=12hfvLCEFEo


ThunderBeat: http://www.youtube.com/watch?v=iU0LKi8BWfQ&feature=related