Mostrando postagens com marcador Religião. Mostrar todas as postagens

Antiga e Mística Ordem Rosae Crucis


A Antiga e Mística Ordem Rosacruz (A.M.O.R.C.) é uma organização internacional de caráter místico-filosófico, que tem por missão despertar o potencial interior do ser humano, auxiliando-o em seu desenvolvimento, em espírito de fraternidade, respeitando a liberdade individual, dentro da Tradição e da Cultura Rosacruz.

Fundada nos EUA, em 1915, por Harvey Spencer Lewis, ela também é conhecida por seu nome em Latim, Antiquus Mysticusque Ordo Rosæ Crucis. A AMORC é a maior fraternidade rosacruz existente em número de membros e de países nos quais possui membros ativos. Esta denominação é a simplificação de Antiga e Arcana Ordem da Rosa Vermelha e da Cruz Dourada.
Em sua forma atual o rosacrucianismo foi restabelecido no começo do século vinte, precisamente em 1915. Cientista, escritor, filósofo, pintor e místico, o Dr. Harvey Spencer Lewis, assumiu a responsabilidade de reativar a Ordem Rosacruz na América do Norte. Sob sua orientação foi construído o Parque Rosacruz em San José, Califórnia, e a AMORC floresceu no mundo inteiro.

Origem Tradicional
Segundo a Ordem Rosacruz AMORC as suas origens remontariam às supostas antigas escolas de mistérios egípcias, há 3.361 anos. É tido como fundador da tradição Rosacruz o faraó Tutmés III, da XVIII dinastia, por volta de 1350 a.C. Teria o faraó fundado uma fraternidade secreta, com o objetivo de estudar os mistérios da vida. A Fraternidade Rosacruz ainda não se auto denominava assim, sendo oficialmente estabelecida em El Amarna pelo faraó Amenhotep IV, conhecido também como Akhenaton. Os conhecimentos da Ordem vieram dos Atlantes, que, transmitiam a aqueles que estavam prontos para serem iniciados nos mistérios, por isso as informações da Ordem são velados, ou seja é uma ordem esotérica.(FRC)

Os faraós místicos
De acordo com a AMORC, dentre os inúmeros personagens históricos que teriam integrando a tradição, os mais conhecidos são: os Faraós Tutmés III e Akhenaton.
Tutmés III teria reorganizado uma Fraternidade no Templo de Karnak, conhecida como Grande Fraternidade Branca. Tal fraternidade era formada por diversos estudiosos das Leis da Natureza e das leis universais e dos mistérios da vida, colocando em prática a harmonização com as forças da natureza, por meio de experimentos e de comprovações praticas de suas teorias. Esses mistérios envolvem conceitos, como carma, origem da vida, reencarnação, e demais temas envolvendo as áreas de filosofia, ética, metafísica e terapêutica.
A eclosão dessa Fraternidade tradicionalmente se deu em 1353 a.C., ano que inicia o cômputo do calendário Rosacruz. Momento em que o Cósmico determinou que o conhecimento viesse a tona para aqueles que buscavam a luz. A AMORC apresenta ciclos de atividade e de passividade, na verdade a Ordem apresenta períodos em que seus conhecimentos são expandidos e noutros eles ficam reclusos a alguns iniciados responsáveis por guardar os conhecimentos e mais tarde em momentos favoráveis ha a divulgação dos mesmos.

Os Essênios
Os Essênios foram uma das três principais escolas secretas da Palestina do primeiro século e, na perspectiva da AMORC, Jesus teria sido membro do grupo do norte, que se concentrava ao redor do Monte Carmelo. Os essênios eram também conhecidos como nazarenos, e Nazaré era um de seus redutos, ainda que deve-se notar que o termo era anterior ao nome do lugar.Os membros da escola vestiam-se de branco e seguiam uma dieta vegetariana, como a ordem monástica cristã dos Carmelitas, conhecidos também como Monges Brancos, devido a sua túnica branca, e é interessante notar que membros atuais dessa ordem afirmam abertamente que Jesus era essênio e foi criado no Monte Carmelo{A Vida Mistica de Jesus, H.P. Lewis}, ainda que as escrituras essênicas sejam excluídas da Bíblia promulgada geralmente pela Igreja.

O Movimento Rosacruz no passado
Existiram diversos ciclos de atividades da Ordem Rosacruz. Dentro de um mesmo ciclo, há uma época de plena atividade, seguida por uma época de inatividade de mesma duração. Esses ciclos são necessários por diversos motivos. Um ciclo se iniciou em 1378, com o "nascimento" de Christian Rosenkreutz. Quando ele "faleceu", em 1459, a ordem iniciou sua fase de inatividade, voltando novamente a plena atividade com a "descoberta" do túmulo de Christian Rosenkreutz e a publicação dos manifesto, em 1614.
Então temos ciclos de precisos ensinamentos secretos e outros em que a Ordem é promovida ao público, como a AMORC atua nos dias de hoje, com livros.

1614 - Lançado em Kassel, na Alemanha, o livro Fama Fraternitatis.
1615 - Lançado em Kassel, na Alemanha, o livro Confessio Fraternitatis.
1616 - Lançado em Estrasburgo, na Alemanha (anexada à França em 1681), o livro Núpcias Químicas de Christian Rozenkreuz.

O Mito de Christian Rosenkreutz
Muitos acreditam que Christian Rosenkreutz foi um homem que realmente existiu e foi o verdadeiro fundador da Ordem, renegando assim o passado da Ordem Rosacruz no Antigo Egito.

O Atual Ciclo de Atividades
AMORC foi fundada por Harvey Spencer Lewis em 1915, primeiro Imperator sendo ele mesmo seu representante perante a FUDOSI, uma federação independente de ordens esotéricas. Tradicionalmente, o Dr. Lewis foi regularmente iniciado na tradição rosacruciana na Europa, em Toulouse, na Ordre Rose-Croix, por Emille Dantine. Como parte desse iniciação, foi ortogado ao Dr. Lewis cartas de autorização para fundar a AMORC como um novo corpo rosacruciano nos Estados Unidos. Através de seus inúmeros contatos europeus, o Dr. Lewis se associou à Madame May Banks-Stacy, uma das últimas sucessores da colônia original de rosacruzes que migraram para a América nos fins do século XVII. Já no final dos anos 20, ele se tornou uma figura notável e muito conhecida no mundo esotérico.
No início a sede da AMORC era na cidade de Nova Iorque, tendo lojas em São Francisco e Tampa, no estado da Flórida. A sede da Suprema Grande loja foi deslocada em 1927 para San José, na Califórnia.
Harvey Spencer Lewis morreu em 1939 e lhe sucedeu no cargo de Imperator seu filho, Ralph Maxwell Lewis, quem lhe servia anteriormente de Grande Secretário. Gary L. Stewart foi apontado para o cargo de Imperator na época do recolhimento de Ralph Maxwell Lewis em 1987. O atual Imperator é Christian Bernard, que foi eleito para o cargo de Imperator em 1990.

L'Ordre Rose-Croix
Respeitada Grande Loja da AMORC na França. Anteriormente, antes do ressurgimento do atual ciclo da AMORC, era o principal e mais influente braço do rosacrucianismo na Europa. Seu último Grande Mestre, antes de sua junção à AMORC, foi o francês Emille Dantine.
A Segunda Grande Guerra Mundial teve um impacto devastador sobre os membros de muitas ordens esotéricas, já que tais ordens passaram para ilegalidade sob as leis nazistas de Adolf Hitler. Várias lideranças conhecidas foram presas, perseguidas, e em alguns casos, assassinadas pela GESTAPO. Outros ainda encontraram seu triste fim em campos de concentração, como prisioneiros comuns. A AMORC, ficando protegida de tais perseguições, estando bem alicerçada nos Estados Unidos, cresceu imensamente nesse duro período. Após a destruição causada pela guerra, muitas ordens encontraram o apoio necessário na AMORC para retomarem seus trabalhos. Eventualmente, muitas ordens foram incorporadas pela administração da AMORC, em San José, como é o caso da Ordre Rose-Croix e da Ordre Martiniste Traditionnel (Tradicional Ordem Martinista - TOM).

FUDOSI
FUDOSI ou FUDOESI (Fédération Universelle des Ordres et Sociétés Initiatiques em francês, Federatio Universalis Dirigens Ordines Societatesque Initiationis em latim), fundada em 14 de agosto de 1934, em Bruxelas (Bélgica), foi uma federação autônoma de ordens e sociedade esotéricas. A FUDOSI foi dissolvida em 1951 após o desentendimento entre seus membros. Há atualmente uma organização similar, hostil à FUDOSI, chamada FUSOFSI.



A prostituição mental


A criminologia intelectual é tão profunda e complexa que requereriam milhões de volumes para poder estudar essa matéria. Somente nos permitimos tocar alguns pontos.
A criminologia intelectual se acha contida em livros, revistas, arenas, cinemas, folhetos etc.
Existem em distintos países revistas pornográficas que prostituem a mente dos jovens.
Quando chega à mente uma representação pornográfica o inconsciente retém essa representação e com ela elabora seus conceitos.
Os conceitos elaborados pelo inconsciente são o resultado exato da qualidade da representação. O Eu retém a representação nos recôncavos inconscientes da mente e elabora com ela seus conceitos.
No mundo da mente cósmica, os conceitos se traduzem em imagens semiconscientes Essas são as Efígies do mundo mental.
No plano da mente cósmica o Eu fornica e adultera com essas imagens Essa é a prostituição da mente.
As poluções noturnas são o resultado morboso da prostituição mental.

Existem também as revistas dos fracassados.
Nessas revistas, a mulheres se anunciam, solicitam marido, alto, baixo, gordo, magro, com dinheiro etc.
Muitas jovens senhoritas seguem esse exemplo. Isto é prostituição mental e o resultado é gravíssimo.
Começa o intercâmbio epistolar. Ama a quem não se conhece. Forjam projetos e o dia que os casais se encontram vem, então, o fracasso inevitável.
Senhoras que nunca foram prostitutas, senhoritas dignas e honradas, se deixam enganar pelo modernismo e caem no delito da prostituição mental.

Se um clarividente estuda no plano mental os anúncios amorosos de todas essas revistas, poderá ver então casas de prostituição. Cada anúncio desses corresponde, no mundo mental, à recâmara horrível de um Bordel Mental.
Todo clarividente assombra-se ao ver um bordel no plano mental. Dentro de cada recâmara desses antros horríveis há uma prostituta deitada.
Os homens entram e saem dessas antecâmaras. Cada anúncio da revista corresponde a uma dessas antecâmaras. A mulher que colocou o anúncio está deitada na antecâmara.

Esta é a prostituição do plano mental

O verdadeiro amor nada tem a vem com esses bordeis do plano mental. Milhares de jovens e distintas senhoras se estão pervertendo com essa classe de revistas.
O verdadeiro amor começa sempre por um elemento de simpatia. Substancializa-se com a força do carinho e se sintetiza em suprema adoração infinita.
O verdadeiro amor é natural, sem artifícios, como o das aves, como o dos peixes do imenso mar, como o selvagem esquilo na selva impenetrável.


PRACAXI - A 8a Maravilha da Selva Amazônica


  

O Pracaxi é a novidade do momento. O seu efeito condicionador devido à formação de uma camada hidrofóbica ao redor da fibra dos fios traz como resultado um brilho e sedosidade nos cabelos de estrela de novela!  Embora seu nome não seja tão difundido quanto o de outras espécies da biodiversidade brasileira, o pracaxi (Pentaclethara macroloba) é uma árvore muito conhecida na região da Amazônia, onde suas sementes produzem azeite de cozinha e a madeira pode ser utilizada para fabricar móveis e dormentes de ferrovias. Os habitantes da região amazônica fazem uso da casca e do caule contra os efeitos do envenenamento de picadas de cobras e escorpiões. Para isso, eles maceram a casca e aplicam sob a forma de emplastros no local da picada. As sementes do pracaxi são  recolhidas pelas populações amazônicas em rios, praias e igarapés, sendo posteriormente secas ao sol e armazenadas para a comercialização local e prensagem para extração do seu precioso óleo. É uma espécie vegetal que encontra-se distribuída em todo o Brasil Setentrional, Guianas, Trinidad e algumas regiões da América Central. Possui um fruto em forma de vagem com 20 a 25 cm de comprimento, que contém de 4 a 8 sementes. Um quilo de sementes é composto por aproximadamente 35 vagens que contêm cerca de 30% de óleo. É uma árvore leguminosa fixa-dora de nitrogênio no solo, constituindo uma espécie pioneira que mostra um grande potencial na regeneração florestal e recuperação de áreas degradadas. 

Emprego na pele


               O óleo de pracaxi se destaca por ser o óleo mais rico em ácido behênico (10-25%) conhecido, cerca de 6 X mais do que o óleo de amendoim. O teor alto de ácido behénico e lignocérico no pracaxi, deixa sobre a pele uma percepção sensorial aveludada e macia, como se ela fosse de ‘‘seda’’. É um verdadeiro ‘‘silicone natural’’ que age mantendo a água nos poros da pele, hidratando, regenerando e protegendo-a, sendo um dos grandes segredos da pele macia dos índios de algumas tribos amazônicas. 
               Poderoso cicatrizante dermatológico, tornou-se tradicional seu uso entre as populações locais no tratamento de picadas de cobras, cicatrização de úlceras, escaras e higienização da pele em cirurgias, já que estudos recentes têm demonstrado que o óleo de pracaxi tem forte ação antibacteriana, antiviral e antifúngica.
               Estudos confirmaram que frações isoladas do óleo de pracaxi constituem importantes compostos bioativos com atividade antihemorrágica, confirmando o uso por parte dos povos ribeirinhos da Amazônia do óleo de pracaxi em sangramentos, tratamento de feridas e cicatrização de cortes pós operatórios de pequenas cirurgias. É assim, um poderoso renovador celular, que tem sido empregado na Amazônia em queimaduras e após cesarianas, visando evitar a formação de quelóides e manchas (também age na suavização de manchas escuras causadas por alterações hormonais que ocorrem com frequência durante o período de gravidez). É utilizado na medicina popular contra a erisipela que é uma infecção cutânea causada por bactérias, onde limpa, cura e revitaliza a pele, combatendo inflamações, e também na dermatite e psoríase, onde ajuda no controle do crescimento desordenado das células da pele.

               De todos os óleos existentes, o pracaxi está sem dúvida entre os mais poderosos hidratantes para a pele e cabelos, sendo considerado portanto, maravilhoso para prevenção de estrias, especialmente aquelas que costumam aparecer no período de gestação, adolescência, e nos tratamentos de emagrecimento devido ao efeito sanfona.
               Contém vitamina e ácidos graxos com propriedades essenciais para produtos anti-rugas com ação antioxidante atuando diretamente sobre as linhas de expressão.  Além disso também existem pesquisas que relatam a atividade inseticida deste óleo (como da andiroba), especificamente contra o mosquito Aedes aegypti, que é o vetor da dengue.
Forma de uso: Puro localmente na quantidade necessária para abranger toda a área. Sem contra-indicações. 

Emprego nos cabelos


               O Pracaxi é um dos grandes segredos indígenas para ter um cabelo de seda: deixa liso, macio, brilhante, desembaraçado e sem pontas duplas. Ele ajuda a criar uma camada hidrofóbica ao redor da fibra dos fios, protegendo os cabelos do ressecamento causado pelo sol, mantendo a umidade natural do cabelo e controlando o volume.
               Na escovação, o pracaxi proporciona um excelente efeito condicionante aos cabelos, facilitando o penteado e garantindo brilho e maciez. Em condicionadores ele é o responsável pelo efeito alisante e devolve a vida aos cabelos danificados por processos químicos. Pode ser combinado com o óleo de argan (1/1), que juntos formam a ‘‘dupla dinâmica’’ no tratamento capilar dos salões mais badalados e caros.
Forma de uso: Antes ou depois da escova desembraça os fios, facilitando o penteado e reduzindo o volume. Previne e trata de pontas duplas além de tornar o cabelo macio como seda. Use para isso uma pequena quantidade na palma das mãos priorizando o comprimento e pontas. Podem ser empregadas 1-2 tampas cheias do óleo em cada 100 gramas de creme condicionador ou máscara capilar.    
 

 A Laszlo possui óleo de pracaxi extra-virgem produzido
na Amazônia e disponível em 120ml.




A Lenda do Seringueiro

A Lenda do Seringueiro - A História do Erê Indiozinho Caboclinho da Mata Virgem;



O Seringueiro 

Além da seringa e da castanha, o seringueiro tira da mata quase tudo o que precisa para viver. Tira a madeira de paxiúba para as casas, a palha de aricuri ou jarina para os telhados, o terreno de roçado para o arroz, feijão, milho e mandioca, com a qual faz farinha também. Os insetos e raízes alimentam as galinhas, porcos, perus e patos, às vezes até alguma vaca e umas poucas cabeças de gado. A mata dá caça variada e farta – veados, porcos-do-mato, pacas, antas e peixes – é também o jardim de infância das crianças, que se divertem com armadilhas, e o berço do universo de lendas dos seringueiros. 




Todo seringueiro já foi assombrado pelas almas dos que morrem, pela mãe d’água que encanta os viventes e os leva para o fundo dos rios, ou pelo caboclinho da mata, um indiozinho pequeno que é o dono das caças e persegue e castiga aqueles que caçam sem necessidade de carne fresca.




Pontos cantados do Caboclinho da Mata:
Oi caboclinho da mata virgem
Sucuri dendê
Aonde anda esse Caboclo
Que não quer descer
Ele desce sim senhor,
Ele desce sim senhor.


Caboclinho da mata virgem
plantou raiz nasceu flor
caboclinho da mata virgem
plantou raiz nasceu flor.

Por esse mundo, vive tão sozinho,
Por essas matas, que lhe maltratam,
Caboclinho das Matas não me deixe só,
Ele baiou nas matas do Codó,
Ele baiou nas matas.


Caboclinho da Mata, como brinca
Olha como brinca.
Sentou – se na areia e pôr-se a chorar.


Taca fogo,no mato ,
que ele vem,
taca fogo,no mato que ele vem !





Exorcismos e seus elementos


Exorcismos dos 4 elementos

O estudante de cabala deve familiarizar-se com os elementos do fogo, do ar, da água e da terra. O homem não é rei da natureza ainda, porém, está convocado para ser rei e sacerdote segundo a Ordem de Melquisedeck. O estudante precisa se familiarizar com as criaturas elementais dos quatro elementos.
As salamandras vivem no fogo. As ondinas e as nereidas vivem na água. Os silfos vivem no ar, e na terra vivem os gnomos.
O evangelho de Marcos é simbolizado por um leão (fogo). O evangelho de Mateus é representado por um jovem (água). Já o evangelho de João é representado por uma águia (ar) e o evangelho de Lucas, por um touro (terra).
Os quatro evangelhos simbolizam os 4 Elementos da Natureza e a realização da Grande Obra (Magnum Opus).
Todo Hierofante da natureza converte-se em rei dos elementais.
(Samael Aun Weor, Curso Esotérico de Cabala, disponível em nossa seção Cursos, gratuitamente.)

EXORCISMO DO FOGO

Deus do Fogo AGNI
Gênios INRI (da natureza) e RUDRA (salamandras atômicas de nosso corpo)
Arcanjo SAMAEL
Elohim GIBOR (lê-se Guibor)
Elementais Salamandras e Vulcanos
Mantras S, INRI, IAO e
 
Objetos    Espada e vela
Perfume Mirra
Dia 5ª-feira (à meia-noite de quarta para quinta)
Direção Sul
Michael, Rei do Sol e do Raio… Samael, Rei dos Vulcões… Anael, Príncipe da Luz Astral… Assisti-nos em nome do Cristo, pela Luz do Cristo, pela majestade do Cristo. Amén… Amén… Amén…
 
A Mãe Divina, ou Mãe do Mundo, é a Rainha suprema dos Elementos da Natureza
INRI… (pronunciar este mantra por três vezes)
SSS… (pronunciar este mantra por sete vezes, enquanto se trabalha com a espada ou a vela)
INRI, INRI, INRI, poderoso Gênio, te pedimos permissão para que as Salamandras e os Vulcanos executem este trabalho de… (mencionar o tipo de trabalho, se de cura, de limpeza, de proteção, de orientação ou consagração).
Salamandras e Vulcanos do Misterioso elemento, vos ordenamos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo para que protejais este recinto pelo Norte, pelo Sul, pelo Leste e pelo Oeste, para que nenhuma força nos atrapalhe nem cause danos.
Também vos ordenamos que abençoem nossas pessoas e nossos lares para que sejamos fiéis aos desígnios espirituais.
IAO…(cantar este mantra por doze vezes, enquanto se visualiza uma parede de fogo azul envolvendo o local onde se realiza esta Conjuração e as pessoas participantes).

EXORCISMO DO AR

Deus do Ar PARVATI (no Oriente; e Pavana entre os cabalistas)
Gênios Ehecatle (na Natureza) e Ishwara (silfos atômicos de nosso corpo físico)
Arcanjo MICHAEL
Elohim SABTABIEL
Elementais Silfos, Sílfides, Elfos e Fadas
Mantra H… (como um suave suspiro)
Objetos Pluma e Hexagrama
Perfume Incenso de Olíbano
Dia 4ª-feira (meia-noite de terça para quarta)
Direção Oriente
Divino Pai Celestial, Pai de toda a Criação e do Espaço Infinito e Eterno, te pedimos de todo coração para que nos invoques ao Deus do Ar Parvati… Parvati… Parvati… te suplicamos para que nos tragas os Silfos e Sílfides para executarmos este trabalho espiritual.
HI-HE-HO-HU-HA… (vocalizam-se estes mantras por algumas vezes, enquanto que com a pluma na mão direita se faz o sinal da cruz nos quatro cantos cardeais).
Spiritus dei ferebatur super aquas, et inspiravit in faciem hominis spiraculum vitae. Sit Michael dux meus et Sabtabiel servus meus; in luce et per lucem. Fiat verbum halitus meus; et imperabo Spiritibus aeris hujus, et refrenabo equos solis voluntate cordis mei et cogitatione mentis meae et nutu oculi dextri. Exorciso igitur te, creatura aeris, per Pentagrammaton et in nomine Tetragrammaton, in quibus sunt voluntas firma et fides recta. Amén. Sela Fiat. Que assim seja…
Obedecei-nos, Silfos e Sílfides… Pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo…
(pronuncie o mantra H… por três vezes, antes de continuar o exorcismo).
(Invocar em voz alta os seguintes nomes, enquanto se visualiza o Ar Elemental do ambiente se purificando e carregando-se com vibrações espirituais sutilíssimas:)
Michael, Sabtabiel, Ishwara, Ehecatl, Barbas de Ouro, Parvati, Archan, Samax, Madiat, Vel, Modiat, Guth, Sarabotes, Maimon, Varcan… Senhores Gloriosos, pedimos autorização para executar este trabalho espiritual…
Silfos e Sílfides do Ar, vos ordenamos em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, protegei este local e as pessoas participantes dessa invocação pelo Norte, pelo Sul, pelo Leste e pelo Oeste… Para que as forças do mundo não possam causar nenhum dano a este local nem a nós que aqui estamos. Imantai nossas pessoas e nossos lares para que sirvamos conscientemente de acumuladores das bençãos espirituais.
(Pronunciar o mantra AOM por doze vezes, enquanto se visualiza o ambiente e as pessoas cobertos por uma neblina azul refrescante).

EXORCISMO DA ÁGUA

Deus da Água VARUNA
Gênios NICKSA (da Natureza) e NARAYANA (atômicos do corpo físico)
Arcanjo GABRIEL
Elohim ORFAMIEL
Elementais Ondinas, Nereidas e Sereias
Mantra M…
Objeto Cálice e Tridente
Perfume Eucalipto
Dia Domingo (meia-noite de sábado para domingo)
Direção Ocidente
Divino Pai Celestial, Tu que és o Senhor dos Exércitos e Criador deste Mar do Universo, imploramos para que sejas Tu que invoques ao Deus das Águas, Varuna… Varuna… Varuna… Nós te invocamos, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, concede-nos a honra de trabalhar com teus servos, os elementais das águas da vida, Ondinas, Nereidas e Sereias.
(Levante o Cálice com a mão direita, e, voltado para o Ocidente, continue.)
Fiat firmamentum in medio aquarum et separet aquas ab aquis, quae superius sicut quae inferius, et quae inferiur sicut quae superius, ad perpetranda miracula rei unius. Sol ejus pater est, luna mater et ventus hunc gestavit in utero suo, ascendit a terrae ad coelum et rursus a coeluo in terram descendit. Exorcizote, creatura aquae, ut sis mihi Speculum Dei vivi in operibus et fons vitae, et ablutio peccatorum. Amén…
M… (vocalizar este mantra por três vezes).
Varuna, Nicksa, Narayana, poderosos Gênios das Águas, pedimos vossa bênção e permissão para trabalharmos com êxito com vossos auxiliares elementais.
Ondinas… Nereidas… Sereias… rainhas e Reis das Águas da Vida, vos invocamos e vos pedimos, em nome do Pai, do Filho e do Sacratíssimo Espírito Santo; e também pelo Senhor Jeová, que pairou sobre as Águas do princípio dos tempos… Protegei e trabalhai sobre este local, pelo Norte, pelo Sul, pelo Leste e pelo Oeste, para que todos nós recebamos vossas forças vitais. Inundai nossas almas e nossos corações, para que sejamos acumuladores de força espiritual. Amén…
(Vocalizar o mantra AOM e VÁ, alternadamente, por treze vezes, imaginando que ondas do gigantesco mar espiritual, de cor branca, inunde as pessoas participantes e seus lares e familiares, antes de pronunciar em seguida o Exorcismo da Lua.)
Treze mil Raios tem o Sol…
Treze mil Raios tem a Lua…
Treze mil vezes se arrependam nossos Inimigos internos e externos.
Amén, Amén, Amén…

EXORCISMO DA TERRA

Deus da Terra KITICHI
Gênios GOB, ARBARMAN, CHANGAM (da natureza) e Brahma (atômicos do corpo físico)
Arcanjos MELQUISEDECK (da Terra) e ORIFIEL (de Saturno)
Elohim CASHIEL
Elementais Gnomos e Pigmeus
Mantras AOM…, IAO…, LA…
Objetos Báculo, Cetro
Perfumes Sândalo e Amadeirados
Dia Sábado (meia-noite de sexta para sábado)
Direção Norte
Divino Pai que moras no mais profundo de meu coração e que és o Senhor do Castelo de minha Alma, que Teu Verbo de Ouro possa nos invocar o supremo Deus Kitichi… Kitichi… Kitichi… Te chamamos pelos poderes do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Concede-nos a graça de comandar e direcionar a força magnética dos Gnomos e Pigmeus da terra.
Em nome das 12 pedras da Cidade Santa, pelos talismãs ocultos e pelo cravo de ímã que atravessa o mundo, nós vos conjuramos, obreiros subterrâneos, obedecei-nos.
Pelo Cristo, pelo Cristo, pelo Cristo. Amén…
IAO… IAO… IAO…
Gob, Arbarman, Kitichi, supicamos êxito neste trabalho com as forças telúricas.
Gnomos e Pigmeus, vos ordenamos, em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Trabalhai com as forças magnéticas da perfumada terra e harmonizai as pessoas que aqui se encontram e seus lares. Imantai nossas Almas e nossos corações para que nos transformemos em acumuladores do poder e da força da divina Mãe Terra. Amén…
LA… (Vocalize este mantra por 12 vezes visualizando os obreiros subterrâneos inundando o ambiente com uma relaxante cor amarela.)
 
Fonte:-                    Arsenal Gnóstico
                               O grimório do mago
Arquivo:- CMSB - cavaleirosdomonteserrate


Os Gnomos


        

        GNOMOS Os Gnomos são seres quase esquecidos. Uma vez que trabalham na floresta durante à noite e algumas vezes nas casas dos humanos. A palavra Gnomo é derivada de KUBA-WALDA, que em alemão antigo quer dizer "administrador da casa", ou mesmo "espírito da casa". Antigamente eram vistos e aceitos pela sociedade, mas isso aconteceu numa época em que as águas eram límpidas e as matas todas virgens. Depois disso, tudo mudou, e os gnomos foram obrigados a se retirarem da sociedade, indo para os esconderijos nas florestas, muitas vezes subterrâneos e de acesso tão difícil que desde então a crença neles tem decrescido. Entretanto, mesmo sem vê-los sabemos que existem lindos coelhos nas campinas e que os alces habitam os bosques. Assim é o com os Gnomos: você pode não vê-los, mas eles estão lá. Morag - Gnomo do Amor Gnoa - Gnomo da Criatividade Sagmo - Gnomo da Casa Gobe - Gnomo da Sabedoria Moveg - Gnomo dos Vegetais Migsa - Gnomida Professora Conhecidos pelos seus poderosos encantamentos e grande habilidade de lidar com cristais energéticos, os gnomos fizeram uma fama pelo sua grande inconfiabilidade e sua extrema capacidade de atiçar a curiosidade das pessoas contando histórias de locais inexplorados, cheios de ouro. É interessante a história que contam sobre o Reino Mágico, situado a oeste, na distante região de Urganplor. De físico são pequenos, alcançando no máximo 1,34 e pesando entre 20 a 30 quilos. Os gnomos possuem grandes narizes redondos, olhos aguçados e longos cabelos, que chegam facilmente a se arrastar no chão quando não são cortados. Os gnomos possuem pele cinza, e cabelos violetas, mas não raro, a cor do cabelo pode variar a azul ou vermelho, até mesmo branco. As cores dos olhos variam na mesma gama de cores. Como raça são unidos, mas muito atrapalhados. São nômades, vagando em caravanas confusas, cheias de penduricalhos e remendos. A sociedade dos gnomos, é cheia de regras aparentemente inúteis, mas muito importantes na vida do gnomo. Entretanto são bons lapidadores, e a maioria das jóias mágicas que você irá encontrar em suas jornadas serão de fabricação gnômica. Caso você encontre uma destas jóias a venda, não hesite em comprá-la. Qualquer joia encantada por um gnomo vale a pena possuir. Entretanto, infelizmente, elas não serão baratas... Direi que existe uma crença errada sobre os gnomos, mesmo naqueles que acreditam em sua existência, pois, sabemos que o acreditar ou não, em seres que não pertençam à nossa espécie, está dentro do livre arbítrio do homem.
     Os que acreditam nos gnomos estão errados quando os supõem seres da natureza, como os elementais que são invisíveis embora possam se materializar. Os elementais são difíceis de ver porque raramente se materializam, os gnomos são materiais e são difíceis de serem visualizados por seu tamanho e porque se apartaram de nossa espécie e vivem isolados. "Adoram frutas, mas naturalmente, em seu sentido de humor que se faz notar em cada uma de suas afirmações, - para comer um melão ou uma melancia, teríamos que nos meter dentro -. E eu pensei no que diriam se conhecessem o tamanho de uma jaca. O morango, a cereja, a groselha e a amora silvestre são suas frutas preferidas. E não as comem como sobremesa e sim, começam com elas as refeições, assim como em alguns países da América Latina, Colômbia entre eles, se começa a refeição com salada de frutas. Trata-se de um processo digestivo. ..."E a sopa" - disse-me Osanaim, o gnomo que me deu a iniciação e que foi meu mestre no tempo em que estive no laboratório alquímico dos gnomos - "é sempre nosso último prato". (Molinero) Curiosidades IDIOMA= têm sua própria linguagem; DEMOSTRAÇÕES DE AFETO= esfregam o nariz; TATO= possuem nos dedos a mesma sensibilidade das pessoas cegas; audicaO= muito mais aguçada do que a do homem; DUENDES Os Duendes são alegres, amam festas, músicas e danças.O comportamento varia em geral baseiam em atitudes humanas por estarem próximos aos homens. Esta aproximação sempre é favorecida quando o ser humano está mais frágil e sensível. Os Duendes são ligados à Terra e geralmente conseguem controlar imprevistos da natureza.Os Duendes vivem vários anos e chegam a constituir famílias. Adoram comer e fazer brincadeiras tais como esconder objetos. Alguns possuem orelhas grandes e pontudas e grande quantidade de pêlos no corpo. Quando confiam nos homens se tornam fiéis e grandes protetores. Magnodum - Duende da Magia Tende - Duende da Sorte Dunaz - Duende da Natureza Dulei - Duende da Alegria Duendo - Duende da União As lendas dizem que são pequenos anões, duende pode variar de 3 a 30 cm de altura. O comportamento varia em geral baseiam em atitudes humanas por estarem próximos aos homens. Esta aproximação sempre é favorecida quando o ser humano está mais frágil e sensível. Os Duendes são ligados à Terra e geralmente conseguem controlar imprevistos da natureza.Os Duendes vivem vários anos e chegam a constituir famílias. Adoram comer e fazer brincadeiras tais como esconder objetos. Alguns possuem orelhas grandes e pontudas e grande quantidade de pêlos no corpo. Quando confiam nos homens se tornam fiéis e grandes protetores. 

 Autora Carla Cristin 

Túmulo anglo-saxão pode marcar passagem do paganismo ao cristianismo



Arqueólogos encontraram um túmulo anglo-saxão perto de Cambridge, Inglaterra, que poderia ser um dos primeiros exemplos do cristianismo, que aos poucos roubou a cena do paganismo.
Dentro dele, foi descoberto o esqueleto de uma adolescente, enterrado em uma cama de madeira, com uma cruz de ouro em seu peito. 
A cruz é apenas a quinta a ser descoberta no Reino Unido. Somente 12 outros enterros parecidos foram encontrados.
E, segundo os cientistas, essa combinação exata – cama onde o corpo foi colocado em uma moldura de madeira unida por suportes de metal e símbolo cristão (cruz) – é extremamente rara.
“Acreditamos que há apenas um outro exemplo de um enterro com cama de madeira e cruz no peitoral, em Ixworth, Suffolk”, disse a pesquisadora Alison Dickens.
O túmulo da adolescente, que os cientistas acreditam que tinha cerca de 16 anos de idade, era um de quatro túmulos descobertos ao sul de Cambridge. Os outros três foram descritos como enterros anglo-saxões mais típicos, sem indicações do cristianismo.
O túmulo pode datar do meio do século 7 d.C., quando o cristianismo estava começando a ser introduzido aos pagãos anglo-saxões.
A cruz de 3,5 centímetros encontrada no peito da menina provavelmente tinha sido costurada a sua roupa. Outros artefatos, como um saco de pedras preciosas e semipreciosas, e uma pequena faca também foram encontrados com o corpo.
Segundo os arqueólogos, o estilo da cruz era comparável ao tesouro real anglo-saxão descoberto em Sutton Hoo, em Suffolk.
O método de enterramento e qualidade das joias pode indicar que a menina era de uma família nobre ou real.
Sendo assim, a conversão cristã poderia ter começado em cima, com a nobreza, e filtrado para baixo, até se generalizar até as camadas mais pobres.
Apesar dessas especulações, o corpo possuir tantos bens consigo – supostamente para uma vida após a morte – é contrário à crença cristã, que diz que o corpo não vive após a morte.
No entanto, a fusão de possíveis dois ritos funerários – cristão e pagão – pode colocar o túmulo à beira da mudança de religião, de pagã para cristã.
No futuro, os cientistas querem determinar se havia alguma relação entre a garota cristã e os três outros esqueletos, encontrados em estreita proximidade.[BBC]


Os rituais secretos


Os rituais modernos, mesmo aqueles celebrados por seitas ou ordens iniciáticas antigas, têm todos a mesma origem, a mítica e submersa Atlântida.
Os sacerdotes atlantes foram os primeiros que deram a esses rituais uma consistência de cerimonial, criando e sistematizando os procedimentos e as rotinas que abriam e fechavam essas celebrações místicas. 

Os rituais são cerimônias que buscam criar um ambiente mágico, uma espécie de realidade paralela, com a intenção de provocar uma alteração no nível de consciência psíquica dos iniciados.
Essas Ordens místicas, as antigas e as modernas, praticam um cerimonial para a admissão dos seus membros, conhecido como iniciação. Daí porque são chamados de iniciados, todos os membros que passaram por esse processo de aceitação como membros da Ordem. 
O termo iniciação tem o seu sentido simbólico como uma busca interior, um mergulho no fundo da alma, de onde o iniciado volta com um outro nível de consciência. Há algumas divergências quanto ao significado exato do termo, mas o de ação para dentro de si, parece-me o mais sensato para expressar o processo de morte e renascimento, como ele também é conhecido.


Após um período de preparação, os postulantes eram recebidos no salão secreto do templo, onde aconteciam os rituais, e tinham de se submeter a diversas provas, antes de serem aceitos na Ordem.
Fechemos os olhos, por alguns instantes, e viajemos no tempo, para alguns milhares de anos atrás. E ao abrirmos os olhos, perceberemos que estamos num salão semi-iluminado por velas e archotes, onde um grupo de pessoas, vestindo paramentos brancos, recitam e repetem mantras, criando uma expectativa tensa, nos momentos que antecedem a chegada de mais um membro da Ordem, recém aprovado nos ritos secretos.
Ouve-se bater na porta do templo que permanece fechada. A argola de ferro, presa à porta, ao ser investida contra o batente de ferro, provoca uma forte ressonância dentro do templo, causando um efeito instantâneo no ambiente, silenciando as vozes e criando um clima de expectativa. O Grão-Mestre pergunta quem bate à porta, ouvindo-se a voz do Guardião do Portal anunciar a chegada do postulante e solicitando autorização para introduzi-lo no templo.

O Grão-Mestre ergue a voz e concede a autorização pedida. 
O templo está enfumaçado e sob o efeito de ervas aromáticas, dando uma sensação estranha e intimidadora, a quem nunca dantes houvera presenciado ambiente semelhante. O Grão-Mestre conduz o processo iniciático, sob o poder de Melquizedec, que preside o ritual. A presença de Melquizedec revela que o iniciado já é um espírito evoluído, que, noutras vidas, passou por 3 processos iniciáticos, e que agora está sendo introduzido à sua quarta iniciação.
Esse iniciado pode ser qualquer um de nós, já que estamos reproduzindo em nossas mentes os fatos testemunhados num passado distante, como se lá estivéssemos presentes.
Passemos, a seguir, a nos sentirmos já como membros dessa Ordem Atlante, após termos sido admitidos num ritual presidido por Melquizedec. Anos depois dessa iniciação, ousemos imaginar que galgamos todos os graus intermediários da hierarquia da Ordem, e atingimos o grau máximo de poder, o de Grão Mestre.


Cabe-nos, agora, presidir um ritual sagrado, um cerimonial secreto, que haverá de reunir poder em torno dos participantes, a ser empregado para a evolução da humanidade. O ritual está prestes a começar. Todos devem estar trajando seus paramentos, que são as vestimentas sagradas para uso em rituais.
O Sacerdote acende as velas e os archotes, iluminando o templo e iniciando o cerimonial de abertura do ritual. O Guardião do Portal assume o seu lugar na entrada do templo, portando com firmeza a sua lança flamejante, que impedirá a entrada no ambiente, de todas as energias estranhas e malignas. Deste momento em diante, ninguém entra no templo sem a supervisão do Guardião e a autorização do Grão Mestre. Os cavaleiros e as sacerdotisas começam a entrar no templo, vão até junto ao altar, fazem suas saudações e ocupam seus lugares. Os mantras começam a ser ouvidos e os cantos suaves e harmônicos ajudam a purificar o ambiente e preparar os espíritos para o início do ritual.
A Zeladora do Fogo entra com a Pira, sauda o altar, a coluna da Luz e a coluna do Fogo, e depois faz a saudação às 4 direções. O Sacerdote faz, então, a abertura do ritual, recitando o mantra de saudação à Divindade e mentalizando o ícone sagrado da Ordem. As cortinas do altar são abertas e canta-se o grande mantra de exaltação ao Poder Divino, ao mesmo tempo em que o Grão Mestre adentra o templo, e todos o saúdam.


Faz-se silêncio absoluto, os olhares convergem para o altar, onde o Grão Mestre saúda os Planos Superiores, dirige uma exaltação de Poder ao Eterno, o Altíssimo, Deus Único e Verdadeiro.
A exortação do Grão Mestre tem início, conclamando a todos para concentrar suas energias em torno da Taça do Poder Cósmico, que estará pousada sobre o altar, e que reunirá todas as energias necessárias para as transformações pretendidas pelo ritual. O Grão Mestre prega o amor e a bondade, como as únicas formas de se reunir a necessária força energética de transformação. O Grão Mestre, inspirado por seus Mentores Espirituais, faz revelações e passa ensinamentos que estão fora da esfera do conhecimento humano. Uma derradeira saudação dirigida aos cavaleiros e sacerdotisas é o sinal de que o ritual está chegando ao fim. 

O Grão Mestre se despede, é saudado por todos e se retira do templo. Todos repetem o mantra de fechamento, enquanto o Sacerdote cobre a Santa Taça do Poder Cósmico e fecha as cortinas do altar. 

A Zeladora do Fogo retira-se, sendo saudada por todos. Um a um, todos os participantes vão retirando-se, não sem antes saudar o altar. O Sacerdote e o Guardião do Portal são os últimos a sair, apagando-se as velhas e os archotes e trancando-se a porta do templo. 


O ritual acabou. A Atlântida vai ficando para trás, as imagens vão-se dispersando e as lembranças , se apagando. Já não somos mais o Grão Mestre, mas certamente não deixamos de ser o mestre que fomos. 

Estamos de volta ao nosso tempo, sem os paramentos sagrados, sem os objetos ritualísticos, mas trazendo dentro de cada um de nós todas as conquistas iniciáticas de outras vidas. De repente, percebemos que não somos quem somos, mas que estamos quem somos. 
Despertamos de um sonho, que parece a única e absoluta realidade, para viver uma realidade, que mais parece um sonho, e, muitas vezes, um pesadelo. Dentro de cada um de nós, ressoa uma mensagem que nos liga aos rituais antigos, que nos transporta no espaço e no tempo, e que nos conecta com mundos ocultos e planos superiores, nos quais habitam nossos espíritos, enquanto nossas almas tentam convencer nossas personalidades a cumprir suas missões.
Mistérios, muitos mistérios, para essas nossas mentes ingênuas e iludidas, que não são capazes de crer nesses mistérios, que são as verdades absolutas, para acreditar no óbvio, que são as falsas verdades, fabricadas por nossos olhos físicos, que só vêem o que é denso e matéria.

UMBRAL - Espiritismo






DEUS criou o mundo visível e invisível, incluindo o Umbral, sua razão de existir é o de purificação de almas ainda densas e equivocadas. A energia do umbral é como a do esgoto, fede, contamina, inco-moda, mas antes existir rede de esgoto que esgoto a céu aberto.
Umbral não é uma área para prátia do mal, mas uma faixa de sintonia com vibrações negativas, são es-píritos maus que realizam suas prática mas recebem igualmente o pagamento pelo mal feito (porrada neles)
 
O que seria o Autodomínio mágicko? Seria o Ego vencendo a Vontade? Poderíamos dizer que sim. Mas, como age o Guardião do Umbral e como vencê-lo?
De fato não existe somente um único Guardião do Umbral, e esse Umbral está relacionado diretamente com a passagem do Iniciado pelo véu de Paroketh logo após Hod, Netzach , Yesod e Malkuth e na passagem por DAATH ou véu do abismo. É importante entender que a grande derrocada das Qliphot em cada esfera (Sephirah) de estudo da Qabalah só se dará com a transmutação plena do Magista a nível energético, tanto nos planos mental, físico e espiritual. A partir do momento em que o Magista vai exercitando a prática em seu aprendizado, e vai se dando conta da realidade dos planos invisíveis e das diversas esferas de consciência, e vai compreendendo a necessidade plena de buscar um novo conceito filosófico que acaba matando uma forma antiga de pensar. Infelizmente só poderei passar aqui alguns insights, até que o Magista, por esforço próprio no caminho da experimentação pessoal possa entender claramente o que eu digo, e que possua o desejo sincero de conhecer algo mais sobre a Arte Real, se bem que nesse primeiro momento este desejo ainda se apresente em você de forma confusa, isto porque a totalidade dos nossos estudos são absolutamente ineficazes sem o já referido esforço rumo a prática de nossos exercícios preliminares, por mais simples que eles possam parecer.
Se já recebeu e leu ao menos parcialmente os ensaios que costumo escrever, verá que mencionamos a palavra "demônio" e que ela vem do grego "Daimonion ou Daimon" e que significa espírito, mas que também pode ter um significado mais profundo, pois este Daimon também poderá vir a ser um "anjo protetor" por assim dizer. Deixe aqui de lado, conforme eu tenho explicado todos os conceitos religiosos balizados no "bem e no mal", como duas forças antagônicas que querem eternamente se destruir. Se isto de fato fosse assim, não restaria mais nada além do Caos total.
Neste ponto entenda em primeiro plano o Guardião do Umbral como um Demônio pessoal a ser vencido ou conquistado. Também é importante que entenda um conceito básico ditado por Crowley onde, "qualquer requerida mudança num contexto mágicko, precisa ter um tipo apropriado de grau de força, também gerado de maneira apropriada."
Todo Magista precisará realizar plenamente suas práticas mágickas e quando conseguir realizá-las plenamente no campo astral ou físico, entrará assim, em contato com as energias ou entidades daquele plano ou nível. O ato mágicko realizado pela Vontade fica automaticamente registrado no astral. A palavra Astral não possui aqui um contexto ou conotação tal como sua tradução no latim que significa estrelas, aqui ela significará a maneira de descrevermos as substâncias em outros planos.
Afaste nesse primeiro momento a ideia de que o astral seja um lugar ou um local que exista em separado do nosso físico ou de nossa mente. O plano Astral é o plano da imaginação, que pode ser dirigido pela vontade, este é o primeiro ponto no entendimento mágicko: "O Controle pleno do pensar e da imaginação."
O Iniciado não interpreta a Imaginação tal como o profano que lhe dá um sentido de irrealidades. Imaginar pelo Magista é criar uma forma no plano astral, ou num plano sutil, esta forma criada é real e objetiva. Abro aqui um parênteses para dizer que o sucesso na Arte Mágicka não traduz evolução moral ou espiritual, eu particularmente já conheci experimentados Magistas até com grande habilidade, mas que atuam somente no campo da devassidão e da imoralidade.
O conhecimento do Oculto nasce de dentro para fora, mediante rigoroso treino psicossomático, nasce enfim com já disse da prática. É impossível, portanto que o magista sem execução de práticas ou exercícios mágickos possa balizar ou tentar colocar ideias num campo que não conhece e que jamais experimentou.
Veja como poderia transmitir uma sensação de dor de dente a uma pessoa, se esta nunca a sentiu? Como posso explicar o que seja um Demônio ou um Arcanjo, se de fato é necessário vê-los para saber o que são na realidade. Desvelar o oculto é algo que precisa ser revelado passo a passo, para evitar-se a queda do Magista nos abismos da demência, pois ao invés de ser servido pelo seu Demônio este acabará servindo a ele. Aqui tenho a certeza de haver respondido a dúvida de muitos.
Posso lhe dar uma orientação específica: a prática mágicka, os exercícios espirituais e o aperfeiço-amento espiritual através dessa prática aliada a teoria! Jamais entenda "magia" como uma receita de bolo. Imagine um pretensioso e arrogante magista que se deixe levar pela ignorância de julgar que possui todas as respostas, nesse aspecto o contato com o Guardião do Umbral o tornará um fanático a beira da loucura, pois este Guardião fará despertar as piores Ordálias nos quais o pseudomagista sucumbirá facilmente, principalmente quando defrontar-se com os véus ilusórios da matéria. Nesse caso o fanatismo do pseudomagista o levará a cegueira, tornando o ritual que deveria levá-lo a sua assunção a um simples pacto com uma entidade das sombras, por simplesmente este acreditar que tal contato deva ser feito visando a troca de favores, e não a realização de um ato nobre ou um motivo justificável.
Então a primeira pergunta que se deveria fazer é: "Qual seria a finalidade na realização de tal contato? Apesar de que a conquista do Poder Mágicko possa transparecer e que de fato é um ato pleno de virilidade, potência e força, como o maior premio para o "Magista", este também é a compreensão de que as maiores riquezas que podemos conquistar, não são as mundanas, e sim espirituais, e a sabedoria que buscamos ultrapassa aquela dos limites puramente humanos.
Gnosis
 
Umbral significa Limiar, entrada. Soleira da porta que no espiritismo é uma vibração densa de espírito que ainda não encontram luz, na gnose umbral tem significado de portal, passagem (A passagem pelo umbral significa que você cumpriu uma etapa e está em outro nível, tipo passou de nível no video-game).
 
A mesma palavra com significados diferente em doutrinas diferente.
 
Igualmente Espírito para rosacruz tem um significado próximo do fluído cósmico Universal dos espí-ritas e não o mesmo significado de alma sem corpo físico.
Passagem do plano físico para o espiritual. Todo umbral têm um guardião e para passar de um lado para outro tem-se que pronunciar uma palavra de passe e um sinal com o braço.
 
Palavra de passe:
 
Jesus – Efeta - para abrir um portal, abrir o entendimento
          - Quem tem ouvidos que me ouça!
          - Basta- para impedir ou terminar com um evento desagradável
            - Inconstância – para bloquear uma briga ou discussão
            - Talita Comi – ressuscitar os mortos
 -Sursum Corda – para que todos se calem
            - Schemanforas – para curar os enfermos (MANTRAM)
            - Tetragrammaton – ato de defesa (MANTRAM)
 
A Maçonaria e os Rosacruzes (R+C) possuem várias palavras de passe
 
E muito mais....
 
Fonte:- Arsenal Gnóstico
O Grimório do Mago
Arquivo:- CMS- cavaleirosdomonteserrate
 


Enchiridion Leonis Papae




 

 

 
Fotos do Grimório original datado de 1740 

Não se tem a data exata do nascimento do Papa Leão III, mas ele foi eleito Papa no dia 26 de Dezembro de 795 e seu pontifício durou até 816 por ocasião de sua morte. 
Foi para Carlos Magno que o Papa leão III organizou este Grimório, para garantir o seu poder temporal na Terra sob todos os homens, todas as mulheres e todas as riquezas! Este poder deveria estar nas mãos de seu protegido, pois ele como Papa deveria manter as aparências. No entanto, enquanto o Carlos Magno dominava à tudo e à todos, não passava de uma marionete nas mãos Papa! 

Veja Abaixo o conteúdo que o Papa Leão III deu de Presente ao imperador Carlos Magno: 

Biografia do Papa Leão III; 

Carta do papa ao Imperador Carlos Magno; 

Conjuro contra todo tipo de encantamentos, malefícios, sortilégios, possessões, obsessões, ligamentos, filtros e tudo quanto puder acontecer à uma pessoa por causa de magia, ou por mediação do demônio e dos maus espíritos. Ainda é proveitosa contra toda desgraça ou enfermidade que possa prejudicar o gado, aves e animais domésticos. 
Pantáculo de São João; 
Pantáculo I; 
Oração para curar um mal ignorado; 
As sete orações misteriosas, para os sete dias da semana, que devem ser rezadas uma por dia começando no domingo. 
Selos das Divindades de cada dia; 
Oração misteriosa para livrar-se de perseguições, processos injustos e sair bem e livre em causas criminais. 
Pantáculo II; 
Oração muito eficaz para alcançar pronta libertação dos que estão presos por qualquer causa exceto por assassinato. 
Conjuro para que uma mulher seja fiel ao seu marido ou para que um esposo seja fiel à sua mulher. 
Pantáculo III; 
Conjuração maravilhosa sobre as armas para não ser ferido por elas; 
Modo de preparar a tabela dos setenta e dois nomes sagrados de Deus; quem a carregar consigo não poderá ser prejudicado por ninguém, nem pelo seu mais mortal inimigo e se verá livre de todo tipo de perigo nas viagens, tanto por terra como por mar. 
Pantáculo IV, 
Oração contra todo tipo de perigo, perdas, tempestades, raios, pestes, fome, cachorros raivosos, bestas ferozes, e ainda para preservar-se de incêndios, terremotos, inundações e de uma morte repentina. 
Pantáculo V; 
Oração mágica de tal virtude que o homem que a recite poderá alcançar a mulher mais bela e rica que encontre entre suas relações, e sendo mulher quem a rezar poderá casar-se com o homem mais bonito e rico que conhecer. 
Conjuração para obter honras e riquezas, ser admitido na casa de Grandes Senhores e conseguir deles todo tipo de favores. 
Nomes da puríssima Virgem Maria. As solteiras que os levarem não se verão jamais enganadas por seus namorados, afugenta as tentações da carne e é de grande virtude para evitar o aborto e partos difíceis para as casadas. 
Oração de São Miguel para as pessoas que viajam por mar. Quem a recitar se verá livre de piratarias, naufrágios e outros acidentes. 
Pantáculo 7 ; 
Pantáculo 6; 
Talismã Divino. Aquele que o levar se verá livre de emboscadas e traições; não poderá ser envenenado e descobrirá os pensamentos mais ocultos das pessoas. 
Amuleto Divino. Aquele que o levar sobre si obterá a proteção dos anjos bons; não morrerá de morte repentina, nem por fogo, nem por água, nem por flechas, nem por espadas, nem por adagas, nem por venenos, nem por raios, além disso, a mulher grávida que o leve sobre seu ventre dará a luz sem dor. 
Oração de são Cipriano para combater todo tipo de feitiços, espantar os maus espíritos do corpo, afastar o demônio, benzer uma casa. É eficaz também contra raios, meteoros, furações, tempestades, etc. 
Pantáculo 8; 
Pentáculo 9; 

Ato de encomendar-se aos quatro evangelistas. Serve para ter sorte no jogo e nos negócios.


Tweet

Dia-fora-de-tempo – o último desta Era




Este dia 25/7 é o último Dia-fora-de-tempo antes da chegada do 21/12/2012, quando tem início uma nova Era racial, chamado pelos maias e nahuas de Sexto Sol (ou Sexta Era solar), o mesmo que a Sexta raça-raiz dos teósofos.

Este período de menos de seis meses que resta, é a última oportunidade para se fazer uma avaliação consistente desta transição.

Antes de mais nada, cabe refletir sobre a natureza desta Era que termina, cujo final materialista traduz apenas a sua Kali Yuga. Devemos começar o seu resgate cármico –como forma de embasar as energias futuras- pela reavaliação dos seus valores mais nobres e pelo entendimento da função que a raça árya teve na economia espiritual do mundo.
A terceira raça-raiz teve a missão espiritual de afirmar os dons da mente, aprimorando a meditação e o controle mental. Num campo inferior, tocou desenvolver a Ciência, e nas altas esferas da Hierarquia, coube aos mestres preparar o conceito de civilização e do Estado como quintessência da cultura, literalmente falando, além de trazer a consumação da Grande Arte, a Alquimia espiritual, pela qual se reúne e supera os Elementos naturais –tudo para preparar as glórias futuras do mundo.

Como ensina o Bhagavad Gita, a aristocracia natural desta raça fez do idealismo um valor social. O sentido de dever e o auto-conhecimento, são algumas das pérolas a serem polidas na ante-sala dos tempos novos. O resgate destes valores, é sabidamente uma tarefa especial das sub-raças setenárias e terminais, como é o caso da América do Sul (neste ciclo áryo), donde o ecumenismo ali existente.
Depois, é somente abrir os braços para o Futuro, para os caminhos da consumação da evolução humana que as novas energias trazem, outorgando a abertura de um novo centro espiritual, o coração, pelo qual será possível alcançar uma iluminação real e comungar com a alma-gêmea.  Os mestres fomentarão, por sua vez, a unificação planetária e buscarão a liberação cósmica.
Assim, neste Dia-fora-do-tempo que anuncia o Tzolkin de transição, que possamos refletir na depuração e na reiluminação da raça que termina, e preparar-nos então para as glórias futuras do mundo.

Luís Salvi (Ikix Kukulkan)
Ver também este texto em http://revistaorion.blogspot.com.br/
 
Reuniões para celebrar o Dia-fora-do-tempo-2012 em Poto Alegre
10:00 – Junto ao Buda da Redenção (Parque Farroupilha)
No Por do Sol – Parque Harmonia, na orla do Lago Guaíba.


A Cruz de Caravaca


A história de Caravaca, por certo, é formada de episódios ricos que estão registrados; porém, o fato lendário perdurou e a Igreja não abre mão do mágico aparecimento da Cruz de Caravaca, tendo-o como real, verídico e milagroso. 

No ano de 1231, reinava na Espanha o rei Abu Zeyt, conhecido como Muhammad ben Yaquib. 
Em Caravaca, na fortaleza maior, Muhammad mantinha prisioneiros, um grupo de cristãos, suspeitos de tramarem contra os invasores. Entre o grupo, de aproximadamente quinze pessoas, encontrava-se, incógnito, um sacerdote de nome Gines Perez Chirinos que ministrava aos seus companheiros o conforto da religião. 
Essas práticas foram descobertas pelos guardas e o fato chegou aos ouvidos de Muhammad que, interessado, mandou vir à sua presença o religioso prisioneiro, para conhecer as suas atividades e descobrir se estava sendo arquitetada a insurreição. 
Várias foram as audiências mantidas com Muhammad, que ficou impressionado com o religioso a ponto de se interessar pela atividade de sacerdote e o que significava a celebração da Santa Missa. 
Chirinos viu a oportunidade, não exatamente de melhorar a sua situação de prisioneiro, mas a de preparar a alma do Rei para uma utópica conversão ao Cristianismo. 
Certo dia Muhammad, mais paciencioso, pediu a Chirinos que lhe explicasse o mistério da Eucaristia. Chirinos objetou de que não poderia fazer o desejo do Rei, porque não dispunha dos elementos necessários para celebrar o ato sagrado. 
Muhammad, julgando que Chirinos não desejava satisfazer a sua curiosidade, irritou-se, recomendando severidade no tratamento dos prisioneiros. 

Com o passar dos dias, a curiosidade e talvez o toque espiritual divino, passaram a preocupar o Rei a ponto de perder a tranquilidade. 
Mandou vir, novamente, à sua presença Chirinos que se apresentou em lastimável estado de penúria e sofrimento. 
Muhammad, com palavras suaves, tornou a pedir ao sacerdote que celebrasse a Missa e que fizesse uma relação de tudo quanto necessitaria para o ato. 
Comovido, Chirinos foi enumerando todos os objetos necessários e pediu um local apropriado; foi escolhido um recanto da fortaleza, próximo à torre, que foi limpo, ordenado e preparado para a instalação de um altar. 
Chegando às mão de Chirinos os elementos, foi fácil verificar que haviam sido retirados dos altares das igrejas, resultando, assim, em uma visível profanação. 
Negou-se Chirinos a prosseguir na sua tarefa, pois, o que havia sido profanado, não poderia servir ao sacrifício. 
Muhammad então exigiu de Chirinos o prosseguimento dos preparativos, sob pena de serem os seus companheiros de cárcere torturados até a morte. Sem outra alternativa Chirinos prosseguiu. 
Chirinos havia montado o altar, preparado o vinho e o pão e treinado dois companheiros de prisão para servirem como acólitos, todos devidamente trajados de conformidade com os costumes da Igreja; o sacerdote estava comovido. 

O Rei mandou chamar os seus amigos e familiares e se dispôs com grande atenção e emoção a presenciar o ato máximo de uma 'Magia' Cristã. 
Foi naquele preciso momento de expectativa que Chirinos se deu conta de que havia esquecido de pedir o elemento principal: uma Cruz ! 
Notando o nervosismo de Chirinos, e vendo lágrimas em seus olhos, Muhammad indagou o que estava acontecendo. Quis saber o que significava a Cruz e por que era imprescindível a presença daquele símbolo. 
O local onde se encontravam era iluminado pela luz solar que penetrava através de uma abertura sobre o Altar. 
Chirinos vendo frustrado seu trabalho e temendo ser castigado como ameaçara o Rei, com palavras confusas e balbuciantes tentou descrever a Cruz. 
Muhammad, com o olhar posto na abertura sobre o Altar, apontou com as mãos para ela e com voz embargada pela emoção: "É isso aí, a Cruz ?" 
Chirinos acompanhou o gesto de Muhammad e viu assomarem pela janela dois anjos luminosos, trazendo em suas mãos uma Cruz ! 
A Cruz, que tinha um formato curioso, uma composição da Cruz Latina com Tau, revestida de pedraria, toda de ouro, foi colocada pelos anjos, no seu devido lugar, sobre o Altar. Um dos Anjos disse que a Cruz era parte da Cruz do Calvário. 
Todos tinham os seus olhares fixos na Cruz e não perceberam como os Anjos desapareceram. 
O silencio era comovente. 

Chirinos, como possuído por uma força estranha, começou a celebrar. 
Muhammad, seus familiares e todos os presentes, converteram-se naquele momemto ao Cristianismo. 
Todos os prisioneiros foram libertados e aquela fortaleza foi transformada em Igreja. 

Misteriosamente, e isso ninguém sabe, precisamente no dia 14 de Fevereiro de 1934, a Cruz desapareceu. 

(Extraído do Livro "A Origem de Tudo", autor: Rizzardo da Camino)